Exames concluídos da paciente internada no Hospital Eduardo de Menezes, na região do Barreiro, não descartam a suspeita de contágio por novo coronavírus. Amostras coletadas e encaminhadas à Fundação Ezequiel Dias (Funed) descartaram nove doenças respiratórias que poderiam causar sintomas semelhantes aos apresentados pela estudante.

Ela viajou para a cidade de Wuhan, na China, com o intuito de participar de um intercâmbio. Ao retornar a Belo Horizonte na última sexta-feira (24), apresentou os sinais característicos do coronavírus e procurou a UPA Centro-Sul, no bairro Santa Efigênia.

Constatado o histórico de viagem dela para a cidade onde a disseminação da doença teria começado no mundo, a paciente precisou ser encaminhada à unidade de saúde onde permanece internada em isolamento.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG) encomendou um teste preciso para que seja feita a confirmação ou o descarte da suspeita do contágio por esse vírus tão específico. Este exame ainda está sendo processado e não há previsão clara para que o resultado chegue a público.

Países retiram seus cidadãos da China

Emergência no mundo

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou, nessa quinta-feira (30), situação de emergência de saúde internacional em função da rápida disseminação do novo coronavírus. O órgão acredita que o contágio representa riscos sérios não apenas à China, onde a doença surgiu primeiro, mas a todas as nações. Há mais de 8.200 pessoas infectadas em pelo menos 15 países. Duzentas pessoas contaminadas pelo coronavírus já morreram na China.

A preocupação tornou-se ainda maior após o aparecimento de casos de infecção em pessoas que não viajaram para a China, como nos Estados Unidos, na Alemanha e no Japão. A OMS orienta os países a iniciar protocolos para tomar medidas preventivas que evitem o contágio, entre elas estão fechamento das fronteiras, cancelamento de voos e medição da temperatura corporal daqueles que chegam aos aeroportos.

Os primeiros casos do novo vírus começaram a ser registrados em Wuhan, em dezembro de 2019, como um surto de pneumonia de caso desconhecido. O Ministério da Saúde investiga casos suspeitos no Brasil.

Estou com coronavírus?

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais avalia a suspeita de contágio pelo novo coronavírus a partir de algumas situações muito específicas. Cada caso só será tratado como suspeita se os pacientes apresentarem febre e/ou sintomas respiratórios e que tenham ou histórico de viagem para área de transmissão nos últimos 14 dias ou contato próximo com algum caso suspeito ou confirmado, também nos 14 dias que antecederam o aparecimento dos sinais.

Entenda cada situação suspeita:

1: paciente apresenta, além de febre, pelo menos um sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais) e histórico de viagem para área com transmissão local;

2: paciente apresenta, além de febre, pelo menos um sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais) e histórico de contato próximo com alguém que tenha suspeita de estar contaminado pelo coronavírus.

Contato próximo é definido pela SES/MG como: estar a aproximadamente dois metros de um paciente com suspeita de caso por novo coronavírus, dentro da mesma sala ou área de atendimento;

3: paciente apresenta ou febre ou, pelo menos, um sintoma respiratório e tenha tido contato próximo com algum caso confirmado de coronavírus nos últimos 14 dias.

Fonte: Portal Sete Lagoas/ Com O Tempo