Gigante que rompe o espaço,

marcando com ferro,cimento e aço

a tua sede de progresso.

A garoa que sobre ti cai

é o suor que brota de tua face

manchada pelo óleo, sufocada pela fumaça

da poluição negra que te devora…

Nesta maratona alucinante de teus dias

continuas, imbatível a correr contra o tempo,

com o poder de um Deus, com a fúria do vento,

a ecoar no infinito teu grito de vitória!

Vitória, desde a longínqua Independência ou Morte,

dos bandeirantes a rasgar a mata virgem

trazendo para ti as glórias da conquista!

Ainda hoje continuas a caminhar célere…

Como um furacão a varrer a terra,

transformando-te neste monstro célebre,

maior Parque Industrial das Américas!

És a própria imensidão de concreto armado,

que consegue sobre a fria pedra que te constrói,

irradiar o calor da fé, da  esperança e do amor!

Berço de tantas e tantas raças,

aqui os povos chegam em massa,

ansiosos em busca de progresso…

E tu acolhes de braços abertos

contagiando todos com tua coragem,

transformando sonhos em doces realidades…

Diante desta tua grandeza infinita,

sinto-me como um grão de areia, perdida

na imensidão de tua glória!

E ao ver-te ofegante, valente

trilhando os caminhos do progresso,

humildemente deixo nestes versos

o testemunho de tua vitória

na mais linda página de nossa história!