De repente sentimos adultos,

tão adultos… e vem a saudade de tudo,

da nossa infância, das travessuras,

da escola, da professora, da nossa rua.

Só que agora… já é tarde demais,

o tempo passou e não volta mais.

Desesperado lutamos contra o tempo,

nos agarramos nas recordações

e lamentamos o tanto que tivemos

o quanto éramos felizes e esquecemos…

Hoje cansados tentamos recuperar um pouco,

do muito que tivemos e desprezamos,

procuramos então voltar a ser crianças,

mas agora, pobres crianças diante da realidade

repleta de dores e de desenganos.

E choramos diante de tantas recordações,

sentindo , aos poucos, o silenciar de nossos corações!