Descendo a ladeira,

suspensórios à sua maneira,

vai chutando pedras no caminho

vai…vai menino…

No olhar a esperança,

no corpo a alma de criança,

no peito um coração ofegante

Vai menino…menino saltitante!

Leva o estilingue no bolso,

e sob o boné quase roto,

os cabelos revoltos…

Cata…cata peraltices

vai menino…vai menino!

A bola de capotão,

olha a vidraça do casarão…

Vai achar confusão

menino…menino tufão!

Nos bolsos leva cobaias,

namora as samambaias,

por certo serão desfolhadas

Vai menino…menino das quebradas!

A tardinha as peladas,

correrias e fanfarras,

as calças nas amarras,

vai menino… menino farra!

Pelas vitrines coloridas,

brinquedos e gulodices,

pequenos olhos deslizam

e voa imaginação…

menino…menino ilusão!

Quando chega no seu leito,

vem aquela dor no peito,

assim, quase sem jeito

começa a sonhar…

sonha com a rua,

com a terra,,, e com a lua!

Príncipe Encantado.

Menino de sono cansado,

verás no amanhecer

esta esperança infinda

de surpresas tantas mil

sai menino…sai da rua

meu Menino-Brasil!