Fórum Permanente de Sustentabilidade chega a sua 4ª edição e se consolida como um ‘case’ de sucesso

Fórum Permanente de Sustentabilidade das Cidades Históricas de Minas Gerais chegou a sua quarta edição em Brumadinho e se trona importante referência no turismo sustentável do Estado

Mais uma vez o evento conferiu o sucesso das edições passadas, com dois dias de eventos divididos entre palestras, oficinas, mini-cursos, visitas técnicas e apresentações de ‘cases’ de sucesso nas cidades históricas mineiras

 A abertura oficial do evento aconteceu na manhã da quinta-feira, dia 24 de outubro, na sede da Faculdade Asa, tendo a Mesa de Autoridades composta pelo Pró-Reitor da UFOP, prof. Marcos Knupp; o prefeito de Brumadinho, Neném da Asa; O presidente da Associação das Cidades Históricas, José Fernando Aparecido de Oliveira; a Presidente do IEPHA, Michele Arroyo e a presidente da Associação das Caminhantes da Estrada Real, Maria Elvira.

                      Mesa de Abertural oficial do Fórum

Durante as falas de abertura, todos foram unânimes em colocar o Turismo como uma das principais ferramentas para o desenvolvimento sustentável das cidades históricas mineiras e brasileiras, sendo uma indústria limpa, com uma extensa cadeira produtiva de geração de emprego e renda. O presidente da Associação das Cidades Históricas, José Fernando, declarou que a “Associação vai pleitear junto ao governo do Estado o aumento do repasse percentual do exitoso programa de ICMS Cultural, passando de 1% para 1,5%, beneficiando assim e incentivando ainda mais as cidades históricas que preservam, mantém e divulgam seu patrimônio histórico, cultural e paisagístico”.

O Fórum de Sustentabilidade é fruto da parceria entre a Universidade Federal de Ouro Preto (PROEX e DEURB), Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais (ACHMG) e Cátedra da UNESCO-UFOP, e tem como objetivo central contribuir com a formulação e consolidação de políticas públicas voltadas ao desenvolvimento sustentável do turismo, da preservação do patrimônio histórico, cultural, paisagístico e natural, além da capacidade de superação e resiliência das Cidades Históricas de Minas Gerais, por meio de debates e capacitações em temas das dimensões socioculturais, ambientais e econômicas.

Carta Manifesto de Ouro Preto

Após a abertura oficial, o Fórum seguiu com a leitura da Carta de Ouro Preto, produzida quando da realização do Fórum na cidade, em julho deste ano, dentro da programação do Festival de Inverno de Ouro Preto. A carta foi lida pelo secretário de Cultura e Turismo da cidade de Paracatu, Isac Arruda.

Após a leitura da carta o evento seguiu com palestras, debates e apresentações dos ‘cases’ de sucesso nas cidades históricas, com a proposta de compartilhar e difundir experiências positivas e transformadoras nas cidades mineiras. Todo o evento foi feito com a participação e manifestação direta dos presentes, com espaço para perguntas e respostas, encerrando assim a programação do primeiro dia.

Leitura da Carta Manifesto do Fórum de Ouro Preto, por Isac Arruda

Segundo dia do evento

O segundo dia do evento foi destinado a oficinas, minicursos e visitas técnicas, com temas relacionados ao turismo, sustentabilidade, desenvolvimento de projetos e políticas públicas. Os minicursos foram de turismo rural; turismo ecológico; turismo de base comunitária e local; elaboração de projetos sociais; gestão de riscos urbanos, além da superação de riscos e relatos de experiência exitosas que deram certo com a participação direta de suas comunidades. Os minicursos foram ministrados por professores da UFOP com a participação de alunos, com as temáticas sociocultural, ambiental e econômica. Todas as oficinas tiveram as vagas disponibilizadas preenchidas, sendo as inscrições gratuitas.

Oficina sobre turismo e história

Ao final do IV do Fórum e após todas as contribuições resultantes dos debates e capacitações das atividades desenvolvidas, será redigida a Carta Manifesto do Fórum Permanente de Sustentabilidade das Cidades Históricas de Minas Gerais de Brumadinho, contendo as proposições a respeito do tema em pauta: “Cidades históricas sustentáveis e resilientes por meio da inovação e inclusão”.

Participantes e realizadores do Fórum Permanente em Brumadinho

O Fórum contou com a participação e o apoio da UFOP; Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais; UNESCO; Prefeitura de Municipal de Brumadinho; Faculdade ASA; IEPHA; IPHAN; Rede Globo Minas; AMIRT; MPMG; Prefeitura de Ouro Preto; Prefeitura de Itabira; EMATER; Leesu; Incultec; ONU-HABITAT; Circuito Urbano 2019 e Roltary Club de Ouro Preto.